Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

o machado de axévier

[Arnaldo Xavier, 1948-2004]


O Machado de Axévier Ronald Augusto[1]
Debater as condições de possibilidade de uma literatura negra e, paradoxalmente, não situá-la à margem da nossa tradição literária, como se essa produção de escritores negros aludisse a alguma forma de essencialismo, não é o que nos interessa aqui. Por outro lado, é necessário afirmar que essa literatura, além de se comprometer, o quanto possível, com a instauração de um idioleto literário, com suas linguagens, inflexões e temas irredutíveis e com os riscos decorrentes de tal empreitada, ou seja, os variados objetos poéticos enfeixados no corpo da literatura negra até agora, mais do que se constituírem em um restrito ismo, têm colocado no centro da discussão o conceito de uma literatura universal. Universalidade esta que, enquanto conceito – e do ponto de vista da vontade de estabilização de um determinado estado de coisas –, leva em seu bojo a presunção de falar sem sombra de ruído a todos os homens e mulheres, visando p…

Últimas postagens

O trágico como vacilo de linguagem

fortuna crítica: entre uma praia e outra

na encruzilhada

como eu escrevo

mohino

traços de anelito de oliveira

onde ogum limalha