Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2015

portogalogramas de A face de muitos rostos

Ronald Augusto [1] Onde Ricardo Portugal, afivelando algumas personae sobre o próprio rosto, diz sempre bem, mesmo quando maldiz, e doa a quem doer. Assim eu sintetizaria A face de muitos rostos caso o leitor me solicitasse tal obséquio. Com efeito, através dessas máscaras ouvimos soar virtualmente, por exemplo, a dicção de um chinês que conhece além do tolerável a melopeia das cantigas d’amigo e da chanson provençal; o murmurar de um intelectual que concede que o Brasil até pode se dizer pós-colonial, porém, que ainda está longe de ser uma sociedade pós-racial; o resmungo de um russo apreciador do fine excess da cachaça; a elegia de um gaúcho ulisseida que quanto mais se aproxima de sua grande pequena capital mais se afasta dela. A face de muitos rostos , uma poética cambiante e multicultural. O périplo crítico sobre uma carta geográfica pessoal. Mas o poeta, graças a uma consciência luciferina, também se vê implicado na arenga com que desfaz as contrafaç