Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2019

O que fazer com o esteta e o moralista?

O que fazer com o esteta e o moralista? Ronald Augusto [1] A estética, ao que parece, é um campo hesitante e algo controverso, capaz de, inclusive, confundir o interessado quando sua consideração a propósito do tema se dá, por exemplo, através dos termos dos pensadores do idealismo. De outra parte, aísthesis , o conceito grego de onde se origina a disciplina, significa sensação, sentimento. Mesmo que, historicamente, seja considerada como um ramo da filosofia, a estética aqui e ali é representada como uma disciplina meio lateral ou menos estável, afinal, a investigação estética não se dedica necessariamente a formas artísticas constituídas; seu interesse, de vocação esclarecida e racional, por experiências da sensibilidade e do afeto que se relacionam a uma série de objetos, a coloca, no entanto, constantemente em situações movediças e fungíveis, ainda mais quando se trata de determinar a precisão dos juízos e conhecimentos pretendidos. Um argumento que sustentaria a te

Solidariedade maledicente e infernópolis

Solidariedade maledicente e infernópolis Ronald Augusto [1] Todo mundo caiu de pau (e, em alguma medida, com razão) em cima do recém nomeado presidente da Fundação Cultural Palmares por causa de suas declarações e trollagens contra os movimentos negros. Por outro lado, e curiosamente, o antropólogo Antonio Risério há anos vem nos oferecendo a mesma qualidade de leviandades (só que com aquele verniz intelectual que tantos apreciam) e ninguém expressa um par de palavras para contraditá-lo. Mas, sim, Martinho da Vila respondeu aos comentários grosseiros de Sergio Nascimento de Camargo. Sim, o próprio irmão passou um pito neste cidadão. Sim, o pai é um importante escritor e tradicional militante negro. Encontrei essas notícias aqui e acolá, e gente conhecida, com presteza, veio me contar uma e outra novidade. Só que tudo isso ainda é informação irrelevante e maledicente, porque a intenção é demonizar o sujeito isolando-o do conjunto. Vocês não precisam disso para dizer qu