Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

empresto do visitante, meu igual

Empresto do Visitante pode ser comprado na página da Editora Patuá: http://www.editorapatua.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=193&Itemid=53 Sobre o livro: Contra o gelo do mainstream poético Frédéric Martel afirma, no livro   Mainstream – a Guerra Global das Mídias e das Culturas   (2012), que a poesia morreu, embora sobreviva em pequenos nichos sociais, sem influência alguma sobre a sociedade. Acrescento: ela, no Brasil, quase sempre feita em prosa de comunicação, não traz,  em si mesma, instrumentos culturais concretos e eruditos a permitir o confronto com tal quadro.  Há exceções e, entre elas, encontra-se a poesia de Ronald Augusto, um pensador independente. Seus poemas revelam leitura atenta de algumas tradições, para reativá-las de modo crítico, a desafiar a ordem vigente da indústria do entretenimento e o   statu quo   da própria poesia, hoje, submetido a esta ordem da diversão, do subjetivismo e do narcisismo, efêmeros. U

vinicius e seu orfeu blackface

Notas sobre alguns aspectos da peça Orfeu da Conceição de Vinicius de Moraes. A dita “tragédia carioca” foi encenada pela primeira vez em 1956 no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Embora a obra de Vinicius de Moraes seja, sob vários aspectos, desbravadora, pois o poeta, se antecipando a muitos autores teatrais, a escreveu para que fosse encenada por um elenco de atores negros – fato até então inédito – revela, mesmo assim, em sua narrativa, representações estereotipadas com relação ao negro. Além desse dilema de fundo, pode-se levar em consideração o êxito de forma com que Vinicius de Moreas, nesse esforço de recriação do mito de Orfeu, transcultura, em termos de sincronia, um item do legado clássico para o interior do tempo que lhe cumpria viver, reinventando-o no cenário de um morro carioca em meados dos anos 50. Não me parece inviável uma leitura onde se considere que os termos “tragédia carioca” podem dizer disfemicamente ou que representem por ausência, por apa