Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

revisitanto fragma de cândido rolim

          Fragma  menos evoca que revoga enquanto desenha,  in absentia , sentidos como: permeio, incisão, inciso, separação, que são, por sua vez, congeniais ao prefixo  dia , aqui, à primeira vista, apagado, recusado. No entanto, embora  Fragma  pareça lhe dar as costas, continua afetado por ele. Isto é, o signo lexical  dia atravessa-o feito ressonância indicial.  Fragma , então, problematiza-se: assignatura defectiva, traços grafológicos de Cândido Rolim. Pulsão neográfica em que a dobra alusiva se projeta sobre a elisão material: o efeito do rasgo seco desmembrando o vocábulo “dia/fragma”. Sopro de prosa que trava e trova o espírito em espiras ao redor de si mesmo.           Cândido Rolim embaralha prosa, poesia e filosofia inventando um verdadeiro magma de linguagem que se esgalha em sintagmas, fraseados atordoantes e atordoados por filosofemas reificados, nexos e anexos fonossemânticos:  objeto ,  desejo ,  ato ,  noção . Coisas-palavras num árduo percurso onde represen

autores e livros