Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

fortuna critica : Ronald Augusto abre alas à palavra autoral

Ronald Augusto abre alas à palavra autoral
Paulo Fabris[1]
Entre uma praia e outra (Editora Artes & Ecos, 2018)de Ronald Augusto acontece como uma festa imodesta, entre cômoros e vegetação espessa, entre a prosa e a poesia dos pagos, ali onde um insuspeito rastreador talvez notasse marcas na areia de Pound. Mas quem o chama para um papo reto é Oliveira Silveira, enquanto a silhueta de Manuel Bandeira é vista em meio à sombra e Mallarmé desponta como uma estrela atrás dos morros. Entre uma praia e outra faz a entrega de poemas artesanais, com palavras cozidas no barro e temperadas com o sal da terra. Escolho, como amostra grátis, um dos poemas do livro, o da pág. 55:
sombra da garagem abre alas à passagem do sopro do mar
fosco calor onde afundo enorme mas tão caprichoso quanto a imagem que maruja na concha do meu ouvido
A leitura do livro me fez lembrar uma matéria de Haroldo de Campos com o poeta europeu (iugoslavo) Vasko Popa, publicada num antigo caderno Mais da Folha de São Paulo. Haroldo…

Últimas postagens

sem romantizar o isolamento

O que fazer com o esteta e o moralista?

Solidariedade maledicente e infernópolis

o 20 e a evasão do racismo à brasileira

A explicação no lugar da voz