uma pausa e outra






escrever à mão outra vez, aos poucos, no controle da caligrafia, para que um dia, os olhos uma segunda volta sobre essas linhas, um dia, acompanhem a linha do pensamento, se tal lhes parecer agradável, o que nele havia de discurso, o que se arrastava, suspiro de ideia após palavra aposta na superfície do fio, sem esbarrar na rasura, em que a feiura, ínsula lisura de calígrafo de punho duro, em que a troia tronchada desaba, o cabelo no ombro, guitarra lânguida de cordas azinhavradas, a caspa do passado polvilhada no encosto do sofá-cama, assim a escrita enfileirada à maneira de fachadas, atenção a essas casas do 19, algumas que topamos, a idade de suas arquiteturas encimada, um brasão do tempo, o sucinto recinto, o breve quadrículo onde lhe é facultado o obséquio da recepção mas sem que se lhe permita o forro, o avesso, a intimidade indecorosa dessas habitações, a senhora o atenderá em um minuto, pois não, uma ordinária caligrafia apreensível, em paralelo com a demorada velocidade da imprensa local, os fatos se transformam em notícia só depois de 7 dias, o compósito ferro-madeira da ponte sobre o arroio, qual a alcunha?, 2 jovens nativos junto ao arbusto fuma-fumando maconha, e sim o murmúrio do arroio se derrama em resmungo, urucungo, passa o côncavo da casa velha, depois o salsochorão e sua coma aparada à navalha, na esquina repentina o sobrado de cômodos que emuram pátio efêmero, a negra basta, robusta e de voz cantante, ri como se fosse cantora lírica, alude ao sexo bom experimentado há décadas com seu esposo amado como se solfejasse uma ária florentina, mais tarde, em que se esquadrinha o repertório de trejeitos da tia maneirosa, o modelo justinho de sua condição de dama démodé, aristocrata de fantasia, glauco césar, numinoso o nome que esperdiça com esse filho falhado, se persigna seguindo-a no vácuo, ele se estreita farejando-nos de perto sem bafejar uma fala sequer, inesperadamente afirma alguma coisa, incontrolável comentário, flatulência inodora, em que confessa com o vezo de estabelecer um fecho ao relato que a caligrafia claudica, mas vim até aqui



Comentários

Postagens mais visitadas