nosso linchamento não tem fim




Antes da estreia da série pessoas de boa vontade diziam "calma, vamos esperar a série começar... vocês estão criticando apenas o título... não conhecem o conteúdo..." etc etc. Pode ser. Agora, corta para uma cena da chamada de "Sexo e as Negas": vemos uma das personagens, ela trabalha em um restaurante e conduz alguns homens brancos, bem trajados e arrogantes, até a mesa, um deles pede uma carne bem passada, bem escura ou preta, que é como ele gosta e olha de pronto para a "nega", ela percebe a "indireta" e retruca, como se engendrasse uma resposta genial ou malandra, assim: "então eu vou pedir ao fulano (um garçom negro, alto e avantajado) que atenda o senhor, pois ele vai lhe dar certamente o que o senhor deseja..." (faz um olhar cheio de significados). A cena é mais ou menos assim. Pois esse é o nível do texto do Falabella. Os negros sempre sujeitos a trocadilhos de mau gosto, sua genitália usada tanto em vista do gozo, quanto da punição sádica, a "nega" sobe nas tamancas ou mostra sua altivez colocando outro negro no centro do circo da estereotipia. E você acha que o título é só impressão? Inocente.

Comentários

Anônimo disse…
Cara, como você pensa! É genial ! ! ! ! Parece que adivinha o que a gente também pensa, muito bom, me fez interessar por sua obra. Tô procurando seus livros (também gosto de poesia e Poesia!) e só encontrei na Estante Virtual. Ainda não naveguei por este poesia-pau, se estiverem por aqui vou adquirir direto (se não, vou mesmo de EstanteVirtual). Pois é, cara: E eu gostava dos poemas (poucos que vi) da Elisa Lucinda mas depois de degustar seu excelente artigo (aquele e este textículo) percebi que nem tudo é como parece ser. Penso também ter pelo menos boa vontade e espero aprender mais com os seus poemas e sua poesia. Mas meu irmão (de poesia, de dor e de luta-prazer pra ser mais pro(-)ser) não desanime que suas palavras tocaram fundo noutro coração e pensamento perdidos nessa imensidão de país que um dia haverá de ser mais justo para todos e para todas. Um abraço de poesia.

Postagens mais visitadas